Oficinas Culturais

As oficinas previstas abordaram as linguagens de pesquisa individuais dos artistas ministrantes e tiveram como objetivo sensibilizar os participantes para a leitura e a interpretação artística de seu cotidiano na cidade, além de apresentar princípios técnicos básicos de criação nas linguagens abordadas. As oficinas foram gratuitas com faixas etárias livres e à partir de 06 anos, com carga-horária de duas (02) horas-atividade, recebendo até vinte (20) participantes.

Oficina “À escuta!” (Marcelo Bressanin)

A oficina “À escuta!” tem como objetivo sensibilizar o público participante para a importância dos sons na experiência social cotidiana e ressalta temas como a auralidade (a percepção sonora em 360 graus), o som como elemento psico-orientador (audição como mecanismo de percepção do corpo no ambiente), a atenção para a paisagem sonora (a produção sonora social) e os cuidados com a escuta (preservação auditiva). Baseada nas metodologias criadas pelo artista e teórico canadense Murray Schafer, a atividade se organiza em torno de uma apresentação inicial realizada pelo artista ministrante (30 minutos), um exercício prático (caminhada surda com protetores auriculares, 45 minutos), discussão dos resultados com o grupo participante e fala de encerramento pelo artista ministrante (45 minutos).

 

Oficina “Desenhando o espaço” (Isabel Bei)

Nesta oficina propõe-se a criação de um desenho coletivo criado a partir dos diferentes pontos de vista sobre um mesmo espaço da cidade assumido por cada participante durante uma caminhada de observação.  O objetivo é explorar o desenho como forma de sentir e pensar, evidenciando as particularidades e diversidades de cada um a partir dos diferentes resultados criados. Os participantes desenham num único papel de grandes dimensões, disposto como um mural. Materiais: papel e riscadores e materiais diversos como grafite, giz, carvão, caneta hidrográfica, nanquim e guache. A oficina será dividida em: apresentação da artista e da proposta de trabalho (20 minutos); caminhada de observação do espaço (30 minutos); criação dos desenhos pelos participantes (40 minutos); discussão dos resultados e encerramento (30 minutos).

Oficina “Botânica” ( Marilia Vasconcellos)

A Oficina Botânica é aberta a todo o público, incluindo crianças com idade a partir de 12 anos ou acompanhadas dos pais. Os participantes serão convidados a criar os seus próprios adereços botânicos com plantas e folhas secas e frescas, colhidas pela cidade e selecionadas pela artista. Após uma demonstração de técnicas simples de conservação das folhas, composição e montagem, cada participante criará o seu próprio adereço em presilhas ou tiaras previamente preparadas com ajuda da artista. Todos os adereços poderão ser levados para casa por seus criadores.

Oficina: “Cartões Postais da Cidade de Franco da Rocha” por Cris Proença

A oficina de Cartões Postais da Cidade de Franco da Rocha, consiste na criação de cartões postais feitos com tinta aquarela (estudante) em papel para aquarela no tamanho aproximado de 16*22 , utilizando também pincéis comum ou com porta água , lápis grafite, copos com água e papel toalha. Com estes materiais serão confeccionados os cartões que terá como objetivo o registro por meio de imagens de lugares que inspiram beleza , ou que seja símbolo histórico da cidade de Franco da Rocha, onde os participantes buscaram  referências, por meio de fotos destes pontos históricos , ou de um lugar que representa um marco importante para a cidade de acordo com a escolha de cada um. A oficina tem a duração de 2 horas , onde o plano é uma orientação sobre o uso dos materiais (20 minutos) , Momento de conversa sobre os pontos históricos da cidade e escolha do local de referência (20 minutos) e no restante do tempo (1 hora e 20 minutos) será usado para a criação dos cartões postais.

 

Oficina de Xilogravura “A Cidade como plataforma de gravação” (Edmar Almeida)

Esta oficina propõe um espaço de construções gráficas por meio da Xilogravura, uma espécie de carimbo de madeira que pode ser impresso sobre diversos papéis. Como foco na cidade de Franco da Rocha, os participantes serão induzidos a experiências gráficas de composição da imagem observando as tessituras urbanas que compõem a cidade. Livre para todo público.